Terapia com LED: Quais as indicações e benefícios?

Terapia com LED: Quais as indicações e benefícios?

Cada vez mais as terapias com a luz de baixa intensidade, ou também chamada de terapia de LED tem ganhado força e espaço no mercado de equipamentos eletromédicos. Você sabe quais são os efeitos fisiológicos positivos que esses espectros de onda são capazes de causar na pele?

Sou Mayte Peres, biomédica esteta e faço parte do setor científico da Fismatek. Hoje gostaria de elucidar elementos importantes a fim de sanar as principais dúvidas relacionadas a terapias com luz de baixa intensidade. Vamos lá?

A princípio, a determinação da profundidade de penetração da luz laser em diferentes comprimentos de onda na pele humana é uma das condições prévias para determinar o procedimento de terapia fotodinâmica; sendo assim, através de alterações que causam diferentes estímulos. Abaixo encontram-se ilustrações que demostram os diferentes tipos de comprimento de onda (espectro de luz visível) e a capacidade de absorção dos tecidos subcutâneos:

Primeiramente, o laser de baixa intensidade aumenta a atividade quimiotática e fagocitária dos leucócitos. Nesse sentido, o processo de reparo das feridas, a ativação dos linfócitos pela radiação laser pode torná-los mais atuantes aos mediadores presentes nos tecidos que sofreram à ação do laser. Assim, aumentando a atividade fagocitária dos macrófagos durante a fase inicial do processo de reparo em aproximadamente seis horas após o trauma. E, por fim, facilitando a diminuição do processo inflamatório inicial e estabelecendo as condições necessárias à fase proliferativa subsequente.

Veja as principais indicações:

Entre as suas principais indicações estão: Rejuvenescimento; tratamento de acne; manchas; tratamento capilar (perda de cabelo ou alopecia); olheiras; tratamento de psoríase; onicomicose; cicatrizes; quelóides; pré e pós operatório de cirurgias estéticas; entre outras. Nas cores azul, vermelha, âmbar e infravermelho, a terapia de LED age através de emissão luminosa de diferentes comprimentos de onda. Então, estas atingem células especificas e não danificam as camadas do tecido.

Segundo a literatura, os lasers de baixa potência podem produzir respostas em outros processos além da área estimulada, ou seja, além do local em que é irradiada a ação do equipamento. Desse modo, uma possível razão para o efeito sistêmico é o de que as células no tecido que são irradiados produzem substâncias que se espalham e circulam nos vasos sanguíneos e no sistema linfático. Porém, esses efeitos ainda não foram esclarecidos completamente.

O que destaca um bom profissional é o conhecimento que é construído através de treinamentos, workshops, vídeo aulas, especializações, prática clínica e, também, através de textos como esse. A Fismatek está com você nessa jornada para te ajudar a se tornar uma/um profissional ESTRELA.


Quer saber mais? Fale com um de nossos consultores Fismatek clicando aqui.


Dra. Mayte Peres

Dra. Mayte Peres

• Tecnóloga em Estética e Cosmetologia – Centro Universitário SENAC • Biomédica pós graduada em Estética – FMU/IPESSP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.