Fevereiro Roxo – Como a estética pode contribuir para o tratamento da Fibromialgia

Fevereiro Roxo – Como a estética pode contribuir para o tratamento da Fibromialgia

De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, a Fibromialgia (FM) é uma síndrome clínica que se manifesta com dor no corpo todo, principalmente na musculatura. Junto com a dor, a fibromialgia cursa com sintomas de fadiga (cansaço), sono não reparador (a pessoa acorda cansada) e outros sintomas como alterações de memória e atenção, ansiedade, depressão e alterações intestinais.

Uma característica da pessoa com FM é a grande sensibilidade ao toque e à compressão da musculatura pelo examinador ou por outras pessoas.

A fibromialgia é um problema bastante comum, visto em pelo menos em 5% dos pacientes que vão a um consultório de clínica médica e em 10 a 15% dos pacientes que vão a um consultório de reumatologia. De cada 10 pacientes com fibromialgia, sete a nove são mulheres. Não se sabe a razão porque isto acontece. Não parece haver uma relação com hormônios, pois a fibromialgia afeta as mulheres tanto antes quanto depois da menopausa.

Talvez os critérios utilizados hoje no diagnóstico da FM tendem a incluir mais mulheres. A idade de aparecimento da fibromialgia é geralmente entre os 30 e 60 anos. Porém, existem casos em pessoas mais velhas e também em crianças e adolescentes.

Não existe ainda uma causa única conhecida para a fibromialgia, mas já temos algumas pistas porque as pessoas têm esta síndrome. Os estudos mais recentes mostram que os pacientes com fibromialgia apresentam uma sensibilidade maior à dor do que pessoas sem fibromialgia.

Na verdade, seria como se o cérebro das pessoas com fibromialgia estivesse com um “termostato” ou um “botão de volume” desregulado que ativa todo o sistema nervoso para fazer a pessoa sentir mais dor.

Desta maneira, nervos, medula e cérebro fazem que qualquer estímulo doloroso seja aumentado de intensidade. A fibromialgia pode aparecer depois de eventos graves na vida de uma pessoa, como um trauma físico, psicológico ou mesmo uma infecção grave. O mais comum é que o quadro comece com uma dor localizada crônica, que progride para envolver todo o corpo.

O motivo pelo qual algumas pessoas desenvolvem fibromialgia e outras não ainda é desconhecido. O que não mais se discute é se a dor do paciente é real ou não.

Hoje, com técnicas de pesquisa que permitem ver o cérebro em funcionamento em tempo real, descobriu-se que pacientes com FM realmente estão sentindo a dor que referem. Mas é uma dor diferente, onde não há lesão na periferia do corpo e, mesmo assim, a pessoa sente dor. Toda dor é um alarme de incêndio no corpo – ela indica onde devemos ir para apagar o incêndio. Na fibromialgia é diferente – não há fogo nenhum, esse alarme dispara sem necessidade e precisa ser novamente “regulado”. 

Todos os meses do ano existem campanhas, principalmente voltadas à saúde com destaques de cores em cada mês e o mês de Fevereiro é a cor Roxa (que representa doenças crônicas e sem cura), que se refere a campanha sobre a Fibromialgia, entre outras doenças crônicas (Lúpus e Alzheimer que também são destaques no mês de fevereiro).

Além do tratamento clínico, medicamentoso pela indicação médica, existem outras alternativas que diminuem e controlam muito as crises álgicas (dor) dos pacientes com fibromialgia. Entre elas se destaca, principalmente, a fisioterapia como recomendação A, assim como psicologia, a acupuntura e a estética. 

Hoje, destacando aqui na matéria sobre a estética, a pergunta é: o que ela pode contribuir para estes pacientes fibromiálgicos?

E sim, ela pode favorecer e muito o tratamento desses pacientes de forma simples e com técnicas diárias da estética, como: massagem, ventosaterapia, sessões de detox corporal e por incrível que pareça, os tratamentos estéticos (flacidez, gordura, estrias, limpeza de pele, entre outros) estimulam a auto estima desses pacientes que consequentemente melhoram o quadro clínico e diminuem as chances de novas crises, já que infelizmente, a fibromialgia está muito ligada a quadros de ansiedade e de depressão em muitos casos. Por ser uma doença crônica e sem cura, por enquanto, esses pacientes tendem a procurar sempre por tratamentos alternativos durante a vida, para amenizar seus sintomas e ter qualidade de vida, ou seja, essas pessoas tendem a ser clientes de longa data na sua clínica, consultório e afins. 

Tratamentos com eletroterapia na estética podem auxiliar nos protocolos dos profissionais para contribuir no tratamento dos sintomas desses pacientes. 

Criofrequência, luz intensa pulsada, vapor de ozônio para tratamentos faciais, corporais e capilares, Ultrassom microfocado, equipamentos de fortalecimento e hipertrofia muscular, entre outras tecnologias, são máquinas indicadas, por exemplo, de acordo com a necessidade e avaliação do profissional. 

Na Fismatek você encontra equipamentos que poderão ser aplicados nesses pacientes. Quer saber mais? Fale com um de nossos consultores pela Central de atendimento WhatsApp (11) 9-7252-3375.

Fonte: https://www.reumatologia.org.br/orientacoes-ao-paciente/fibromialgia-definicao-sintomas-e-porque-acontece/

Évelin Ribeiro

Évelin Ribeiro

• Esteticista e Fisioterapeuta Responsável Técnica da Fismatek • Especialista em Eletroterapia e Terapia Intensiva • Mestre em Terapia Intensiva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.