A lipodistrofia ginóide ou fibro edema gelóide, mais conhecida vulgarmente como “celulite”, é uma patologia estética da qual acomete cerca de 95% das mulheres, de acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Ainda de acordo com a SBD, a celulite pode ter associação a com vida diária, sendo: sedentarismo, má alimentação, alteração hormonal e afins. Com sintomas do tipo: pele mais fria, dor, maior sensibilidade local e pele com aspecto irregular podem existir de acordo com o grau de acometimento celulítico.

Sendo assim, o profissional a partir do grau celulítico irá aplicar a técnica que mais se enquadra no quadro clínico de cada paciente.

No caso da técnica de vacuoterapia é possível tratar, melhorando o famoso aspecto de “casca de laranja” que a fibro edema gelóide apresenta-se.

Qual grau da lipodistrofia genóide podemos tratar com a vacuoterapia¿

A melhor indicação é o grau 1 e 2, o grau 3 vai depender do nível de sensibilidade de cada cliente, onde pode se apresentar elevado ou não. Como a vacuoterapia é uma terapia por meio de ventosa que suga a pele por uma pressão negativa, se caso o paciente estiver extremamente sensível, é interessante que inicie por algumas sessões de drenagem linfática manual, diminua essa sensibilidade e por fim entra-se com a técnica do vácuo, mas, se por ventura o paciente estiver com a sensibilidade normalizada, poderá já ser aplicado a terapia por vácuo. Tudo é questão de bom senso galera!

Qual a melhor ventosa para ser aplicado para o tratamento da celulite?

Normalmente é realizado por meio da ventosa de endermologia, sendo essa, uma peça que possui rolete na sua extremidade que facilita o deslizamento sobre o tecido celulítico em conjunto de óleo de massagem. É recomendado uma pressão que pode variar entre 100 a 300mmHg dependendo da sensibilidade e avaliação do profissional.

Ventosa de Endermologia

Podemos utilizar também a ventosa boca de sino com óleo de massagem para regiões com mais nódulos compactados com a mesma variação de pressão dita anteriormente, também de acordo com a sensibilidade e avaliação de cada profissional.

Ventosa Boca de Sino (corporal)

Lembrando que a drenagem linfática também podemos realizar com o equipamento de vácuo, utilizando a ventosa bico de pato corporal com pressão cerca de 40mmHg exercendo ao mesmo tempo do deslizamento contínuo, associado com óleo de massagem para facilitar o manuseio, as pulsações manuais pelo furo da ventosa fazendo o movimento de “tira e põe” o dedo no furo da ventosa, assim fará o aspecto pulsátil com pressão branda de forma a exercer o trabalho com o objetivo de alcançar o sistema linfático (o deslizamento é feito no mesmo sentido que fazemos no manual) mantendo a mesma pressão o tempo todo da terapia.

Ventosa Bico de Pato (corporal)

Qualquer uma dessa técnicas ditas acima pode ser realizado 2 ou 3 vezes na semana em dias alternados.

Lembrando que peles lesionadas, com concentração de telangectasias, dermatoses, varicoses e afins, NÃO DEVEM ser realizada a técnica.


Quer saber mais? Fale com um de nossos consultores Fismatek clicando aqui.


escrito por Évelin Ribeiro
• Esteticista e Fisioterapeuta Responsável Técnica da Fismatek
• Especialista em Eletroterapia e Terapia Intensiva
• Mestre em Terapia Intensiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>